O que aprendi em 2014

Oi, oi, galerinha! Dei uma sumida por uns tempos né? A quem me acompanha peço desculpas. Quem faz faculdade sabe que fim de semestre é uma tortura, mal entrei de férias e já viajei pra encontrar a família e outros amigos. Eu mal atualizava as redes sociais por conta da internet ruim e também porque não parava em casa. Fora que eu precisava de um tempo pra mim, pra me renovar pra vocês.

100_3077

Dois mil e quatorze foi um ano longo para mim, cheio de acontecimentos diferentes e importantes. Sem sombra de dúvidas foi o ano de mais aprendizado de toda minha vida. As coisas realmente aconteceram. Eu tomei cuidado em guardar todas as coisas valiosas desse ano pra no fim contar pra vocês, e agora vamos fazer minha retrospectiva. Elegi as doze coisas mais importantes que aprendi nos respectivos meses do ano, então, voi lá!

Janeiro

Eu de primeira decidi que o ano todo seria vivido intensidade, que seria diferente de todos os anos e que eu me permitiria conhecer coisas diferentes das quais eu estava acostumada. E assim o fiz, li mais, ouvi mais, conheci mais, fiz questão de saborear a essência das coisas.

Fevereiro

Muitas vezes fazemos coisas que no fundo não sentimos vontade de fazer, seja por influencia, por costume, por opção… não importa, nós fazemos e quando nos damos conta aquela tal coisa nem é tão divertida como parecia ser, como exemplo, micaretas. Eu sempre criava uma expectativa em micaretas e no fim elas não eram um terço daquilo que eu esperava e percebi que eu nem gostava muito disso. Foi aí que eu decidi observar o realmente eu gostava de fazer, a quais lugares eu gostava de frequentar, o que realmente eu gostava de ouvir, sobre o que e gostava de falar. Independente do que as pessoas ao meu redor gostem, conhecer-se e assumir isso pra si é uma das melhores formas de viver.

Março

Eu nunca fui a pessoa mais descolada da turma e nem a mais soltinha, eu sempre achei que isso fosse um defeito, porque realmente já me atrapalhou muito. Não sei ainda se todas as pessoas passam por isso, mas chega uma hora que parece que tem coisas que já não fazem tanta importância e poucas pessoas passam a contar de verdade e aí você cansa, cansa de se prender, de se deixar entediar, de seguir regrinhas e viver de marasmo. E sem ser aquela coisa forçada, você se liberta. Isso é desinibir-se, antes de se libertar pras pessoas, você se liberta de si. E falo sem nenhum arrependimento, foi a melhor coisa que já fiz!

Abril

Tudo passa, às vezes você tá com o coração apertado, aquele aperto que faz dar nó na garganta quando está em uma situação que não deveria depender só de você, mas que deixam em suas mãos. Você fica indeciso, com medo, até sofre por atencipação, mas desesperar-se não é um a boa solução. Tempo é.

Em abril aprendi que tudo passa, as dores elas são terminais e que ficar sentado esperando como em uma sala de espera de consultório é chato demais. A vida é muito mais fácil quando vivida com alegria, então enxuguei minhas lágrimas e resolvi esperar passar sorrindo.

Maio

Decisões importantes te fazem crescer, porque elas podem ou não dar certo e independente do resultado, você sempre aprende algo com elas. Em maio eu tinha uma a tomar, uma que decidiria um futuro não só meu, eu não queria, mas tive de ser corajosa. E mesmo ciente de todas as consequencias do depois, eu o fiz. Coragem foi uma das melhores qualidades que eu conquistei, ela te abre portas, e é ela que realmente te traz mudanças e faz as coisas ao seu redor mudarem.

Junho

Eu sempre fui muito intuitiva, mas nunca acreditei nisso. Apesar de tirar umas brincadeiras uma vez ou outra, sempre achei mentirinha essa coisa de sorte, azar, superstição e afins. Só que com o tempo vi que isso não é uma bobagem, algumas pessoas são sim intuitivas, não acredito que isso seja algum dom, pra mim é uma qualidade. Pois intuição nada mais é que facilidade de percepção, é quando só de observar algo você já pode deduzir o que vai acontecer posteriormente. De tantos acertos aprendi a confiar na minha e percebi que isso é pro bem.

Julho

Bondade é uma qualidade sem igual, poucas pessoas no mundo tem o coração realmente bom, a maioria delas foi somente bem educada. Já vi muitas vezes pessoas boas mudarem sua maneira de ver o mundo por causa de decepções e isso é muito triste, pra mim chega a ser fraqueza, desacreditar a ponto de se perder e mudar. Eu não quis isso pra mim. Acontece que para cada pessoa boa no mundo, existem umas sete malvadas e por isso essas pessoas necessitam ser atentas à linha tênue entre ser boa e ser besta. Não é porque a pessoa é bondosa, que vai se deixar rebaixar, usar, esnobar. A pessoa bondosa precisa conhecer o seu valor e o valor de seus atos e entregá-los a quem realmente merece.

Agosto

Altruísmo é uma das minhas palavras favoritas, tanto pela pronuncia, quanto pelo significado. Pra quem não sabe, altruísmo é pôr as coisas das outras pessoas na frente das suas, ou nesse caso, dar importância ao problema alheio. Às vezes somos tão egoístas que ao passar tanto tempo olhando para nosso próprio reflexo no espelho, esquecemos de olhar ao redor e algumas vezes as pessoas precisam mais da gente que nós mesmos. Quando estamos com problemas é tão tranquilizador a sensação de saber que você não está só, de olhar e ter uma mão estendida ali pronta pra ajudar. Em agosto aprendi a ser a mão de alguém, por completo deixei todos os meus problemas de lado e não me arrependi se quer um dia por isso.

Setembro

A juventude é um mistério, é apressada e é veloz. Nós jovens queremos tudo, queremos o mundo e eu aprendi que não dá pra ser assim. Devemos tomar cuidado com essa sede de aventura que vive dentro da gente e ver até onde vão nossos limites. Todos temos. Há quem diga ‘o céu é o limite’, ‘sou do tipo que topa tudo’, mas não, não é bem assim. Em setembro conheci os meus. Apesar de eu nunca ter sido lá muito corajosa pra muita coisa, eu aprendi a me conhecer mais me desinibindo, consequentemente cheguei a ver os meus limites. Vi que nem tudo é pra todo mundo e que eu não topo qualquer parada, com qualquer pessoa, ou por qualquer coisa. Não que eu seja uma estraga-prazeres, ou me preocupe com algo que outras pessoas irão falar a respeito, é que no fim, limites tem haver em como você se sente quanto a algo que você comete.

Outubro

Um dos meus maiores defeitos sempre foi a preguiça. Fora a minha timidez gigante inteligentemente disfarçada é a coisa que mais me atrapalha na vida, outubro foi o mês em que eu decidi e isso mudaria e não pense que foi fácil. Sou uma pessoa cheia de idéias, mas com pouca disposição. To quase sempre com a cabeça cheia de coisas, mas antes pouco as fazia. Como eu decidi mudar isso, eu consegui, passei a pensar menos e fazer mais. Consegui não só ser mais dedicada em fazer coisas para o blog, como realizar outras coisas. Foi gratificante.

Novembro

Às vezes nas nossas casas guardamos aquelas coisas que nem precisamos mais ou que nunca nem utilizamos e mesmo assim ela está lá guardada na gaveta da escrivaninha ocupando o lugar que poderia ser de algo realmente útil. Mas isso não acontece somente com objetos, acontece também com pessoas. Muitas participam de nossas vidas e não tem nem um motivo para estarem nelas, elas simplesmente estão lá ocupando um espaço que poderá muito bem ser o lugar de alguém. Muitas delas nos atrasam, nos fazem mal, não nos acrescentam, então, porquê deixá-las lá? Aprenda que se não for pra somar, que se subtraia. Em novembro joguei o lixo fora, expulsei da minha vida tudo o que não me trazia algo de bom e ainda lavei as mãos depois pra não ficar nenhum restinho de pó.

Dezembro   

Em dois mil e quatorze vivi coisas que nunca pensei que viveria, em dezembro aconteceram mais coisas em uma semana, que em quatro dos outros meses, e não me refiro só a coisas boas. Como sempre digo, a juventude é um mistério e tem lá suas surpresas e de repente nessa correria você se vê e uma situação que parece não ter saída, e quando parece que não há mais ninguém ela aparece te mostrando a luz. A família é tudo, ela é realmente tudo. Não que você não precise de mais ninguém, obviamente seus amigos ocupam uma parcela grande de importância, mas tem coisas que parece que só a família pode fazer por você e quando tudo parece perdido, eles te mostram com amor o caminho. Mesmo quando você erra, os magoa, os decepciona com ternura te olham e te cuidam. Eu sempre tive fé nisso, no amor da família, mas nunca havia sentido como senti neste mês de dezembro.

Tenho agradecido a Deus todas as noites por tudo o que vivi e aprendi, por todas as oportunidades que eu tive e todas as vitórias. Tenho pedido perdão pelos erros cometidos e pedido que me abençoe em todos os meus dias. Que 2015 seja tão intenso quanto seu antecessor, só que com mais acertos e mais coisas boas.

Boa sorte pra todos nós e me digam, quais foram seus aprendizados?

Beijo ♥

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s